Blog Artigos e Podcast

A Pequena História de

Comentários
1024

Nos sertões potiguares de dona Mocinha, lá pelos idos de 1958, segunda-feira era "dia das almas". A filharada tinha de fazer mais silêncio. Para brincar bem mais longe, não faltavam as lonjuras de roçados, caatingas, lajeados quentes, mas também as sombras de velhas mangueiras e a água morna do pequeno açude — coisa rara — que era a promessa de vida naquele sertão nordestino.
— Se a Bita pode berrar, por que eu não posso falar e ficar mais perto da senhora, minha mãe? — Questionei dona Mocinha, quando tinha cinco anos.
— Porque hoje é dia das almas e não se faz alarido. Hoje, até a cabra berra menos, não nota? — Respondeu baixinho e em seguida, acrescentou: — Agora, vá brincar.
— Vou não. Por que hoje é dia das almas?
— Ó gente! Fale baixo. Vá brincar com o seu Jatobá e a sua Bita. Mamãe promete que fala outra hora, se minha calunga não fizer beiço. Vamos combinar assim?
No outro dia, bem cedo, acordei minha mãe para cobrar o combinado: — Acorde, minha mãe. Está na hora de fazer o café. Acorde, meu pai. Ande logo, que o senhor tem de tomar o café é loguinho e azular para o roçado, porque minha mãe tem um combinado comigo.
Finalmente, ela teve de sentar e responder ao meu questionário — Parece saraivada de bala em briga de cangaço, minha calunga. Assim, não dá. Olhe, isto é coisa para se perguntar assim: uma por vez e pára e aquieta. Depois de pensar muito, faz outra pergunta. O dia das almas é na segunda-feira porque é e pronto e acabou.
— Mas, acabou sem eu entender, minha mãe!
— Pergunte outra, então.
— A senhora faz outro rezador e diz que é para anjo. Que anjo é esse, minha mãezinha, que só sei dos anjinhos no caixão que vão enterrados, bem de criancinha.
— Ah, tem anjo de Nosso Senhor! Toda a vida, toda a criação de Deus, onde tiver Deus, tem anjo.
— Anjo é alma, minha mãe?
— Não. Anjo não é alma não. Quer dizer, o anjo é uma alma diferente. Quando crescer, vá procurar saber porque eu não tenho sabedoria para dizer.
— É para procurar? — Perguntei desconsolada.
— Sim, pode procurar em dois lugares: no livro dos letrados, que esse não me importa, e no seu sentimento. Sendo amorosa e cheia de consolo, não precisa correr atrás, que melhor é ser como os anjos. Então, eles é que vêm atrás de você. Entendeu?
Fiquei emudecida olhando fixamente em seus olhos. Toda vez que não entendia alguma coisa chorava até soluçar. Ouvindo os meus soluços, ela acrescentou: — Chore não, minha calunguinha. Um dia, também saberá como eu sei e, talvez, tenha como explicar.
Este foi o princípio de “Sons Vocálicos dos Anjos”. A ignorância é o sofrimento da alma, mas a compaixão é a sua sabedoria em uníssono com o amor.

0.0
Última modificação: 01 julho 2015 02:53
Mestres Sons Voca Anjos Pequena História
+ Destá Categoria

Descubra seu Anjo

Novo
descubra_seu_anjo

Últimos Twitter

Siga-nos